Resenha - Fios de Prata

13:14:00

Mais um autor nacional. YEY! Hoje, defendendo o gênero fantasia, vamos falar de Fios de Prata - Reconstruindo Sandman, de Raphael Draccon. 
Antes de tudo, acho válido explicar a minha expectativa quando comprei o livro: zero. Foi um compra mega despretensiosa numa dessas promoções de super mercado. A simples presença da palavra Sandman no subtítulo foi o suficiente pra levar pra casa um livro sobre o qual eu não sabia nada da história nem do autor. Só depois descobri que Raphael Draccon é o autor da trilogia Dragões do Éter e um dos principais escritores modernos de fantasia desse nosso Brasilzão.

Ambientada mais ou menos no universo que os leitores de Sandman já conhecem (mais ou menos MESMO), a história é sobre Mikael Santiago, 22 anos, o jogador de futebol mais caro do mundo durante o dia e atormentado por sonhos perturbadores durante a noite. Quando ele pensa que já conquistou tudo, conhece Ariana, uma ginasta extremamente talentosa, mas não tão estrela quanto ele. A vida deles vira, literalmente, um pesadelo quando Madelein, madrinha das nove musas, torna-se senhora do condado que rege os sonhos despertos dos mortais na dimensão do Sonhar. Em uma jogada ambiciosa, Madelein dá início a uma guerra épica entre os três deuses que governam o Sonhar: Morpheus, Phantasos e Phobetor. A única salvação, tanto para o mundo etéreo quanto para o físico, é o sucesso da busca de Mikael pela alma de sua amada até os confins do inferno.

Pra quem gosta da temática parece, e é, um bom enredo. Ainda que algumas passagens tenham sido um pouco confusas e cansativas de se ler, especialmente no meio do livro, a trama é capaz de te prender. Mas ATENÇÃO, não leia esperando uma releitura de Sandaman à sua imagem e semelhança. Draccon faz, sim, muitas mudanças no universo de Neil Gaiman. Aliás, que bom, né? Se for pra ler Sandman, nada melhor que ler Sandamn… Mas voltando, as adaptações são necessárias para o desenrolar da trama e muito bem desenvolvidas, como as personalidades dos três deuses do Sonhar e a introdução de outras mitologias. Assim, Draccon cria sua própria identidade dentro desse estilo.

Dica preciosa para quem quiser ler Fios de Prata: leiam ou, pelo menos, aprofundem um pouco seus conhecimentos sobre Sandman. Além de ser uma das graphic novels mais sensacionais já criadas pelo homem, Draccon faz constantes referências à obra de Gaiman. Ah, conhecer um pouco do trabalho de Alan Moore também seria bacana pra acrescentar na leitura do livro. Mas se você já é fã desses e de outros nomes das HQs, vai se sentir vingado em Fios de Prata. Esse tipo de literatura, tão menosprezada pela sociedade adulta, é tratado por Draccon com o respeito que merece.

O que poderia ser um ponto fraco a princípio é como o nosso apaixonado protagonista pode parecer um tanto quanto sem sal, com uma personalidade fraca e meio “comum” demais. Pois bem, de fato o rapaz apelidado pelos fãs de Allejo, do jogo International Superstar Soccer (sim, mais uma referência nerd <3), parece ser um personagem raso, especialmente quando ele é tido como o predestinado a ser o grande salvador. Mais especialmente ainda quando comparado a sua namorada, Ariana, que tem personalidade e força de sobra. E é justamente essa discrepância entre os dois que faz a coisa toda ficar interessante quando ela se torna uma donzela que precisa ser salva e cabe a ele essa tarefa, para os papéis se inverterem na ÚLTIMA página.

Enfim, o livro falha em alguns (poucos) pontos e às vezes a narrativa se perde, mas quem se interessa pela temática que Draccon se propõe a explorar deve colocar Fios de Prata - Reconstruindo Sandman na lista de próximas leituras. Vai valer à pena. (;

You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Seguidores