Resenha - The Rest of Us Just Live Here

14:53:00


Título: The Rest of Us Just Live Here
Autor: Patrick Ness
Editora: Harper Teen
Páginas: 336
Ano: 2015
CLASSIFICAÇÃO:
Sinopse:
E se você não fosse o escolhido?
Aquele que supostamente deve lutar contra os zumbis, ou os fantasmas que se alimentam de alma ou seja lá o que essa coisa nova é, com as luzes azuis e a morte ?
E se você é como Mikey ? Que só quer se formar e ir para o baile e talvez, finalmente, ter coragem de chamar Hanna para sair antes que alguém exploda o ensino médio. Mais uma vez.
Porque, às vezes, há problemas maiores do que o fim do mundo programado para esta semana, e, às vezes, você apenas tem que encontrar o extraordinário em sua vida ordinária. Mesmo que seu melhor amigo seja adorado pelos leões da montanha.

Autógrafo do Patrick Ness, também conhecido como: motivo que me fez comprar esse livro.
Acho que a primeira vez que eu vi esse livro foi em um vlog americano e, desde então, a história não saiu da minha cabeça. Quando eu vi que no site da Amazon, além de ter a primeira edição, as cópias eram assinadas pelo autor, tive que comprar. Eis aqui minha humilde opinião e algumas informações a respeito do livro.

Se você não captou a vibe pela sinopse, aqui vai o meu aviso. Nessa história você não acompanha o heroi, você acompanha a galera que muitas vezes não é nem citada, mas que sempre sofre as consequências dos atos da galera indie (AKA, as pessoas que sempre estão envolvidas em absolutamente todas as tretas). 



Se a curiosidade de ver como Ness trabalha a narrativa mantendo a coisa toda dos zumbis em segundo plano não for suficiente para te fazer mergulhar na leitura deste livro, abra a primeira página e leia este trecho:


CAPÍTULO UM, em que o Mensageiro dos Imortais chega numa forma surpreendente, procurando um receptáculo permanente; e depois ser perseguido por ela através da floresta, indie kid Finn encontra o seu destino final.

É simplesmente hilário! Ele usa estas pequenas introduções antes de cada capítulo para te situar a quantas anda a narrativa do "Escolhido", para que você possa se preparar para como isso vai afetar a vida do grupo que você acompanha.

O que nos leva a Mikey, sua irmã Mel, sua melhor amiga (e crush nada secreta) Hanna e seu melhor amigo Jared. Estes são os personagens que nós vamos acompanhar. Quase todos normais, a excessão é Jared: 3/4 judeu, 1/4 Deus dos Gatos. De certa forma, todos são afetados pelos acontecimentos que cercam as crianças indies, mas não é isso que nos chama a atenção.

Na leitura, somos seduzidos pelo modo como Ness aborda temas como TOC, disturbios alimentares, alcoolismo, inseguranças adolescentes e as descobertas sexuais. Por exemplo, Mike deixa claro diversas vezes que ele e seu melhor amigo Jared já se beijaram e fizeram sexo, e tudo isso vem de forma natural no texto. São dois jovens tentando se descobrir.

Uma das mensagens mais legal da história é que você deve aprender a encontrar coisas extraordinárias em momentos comuns. Você não precisa ser o "Escolhido" para ter uma vida incrível e emocionante. E se isso não te convencer, todo deboche e piadinhas a respeito do quão clichê é ser parte da galera indie vai.
Nem todo mundo tem de ser o "Escolhido". Nem todo mundo tem que
ser o cara que salva o mundo. A maioria das pessoas só tem que
viver suas vidas da melhor forma possível ... o tempo todo 
sabendo que o mundo não faz sentido, mas tentando encontrar uma
maneira de ser feliz de qualquer maneira.
"Qual Finn? " minha irmã diz . " Não são todas as crianças indie chamadas Finn?"
" Eu acho que há um par de Dylans, " Hanna diz, "e um Nash. "
"Há duas Satchels, eu sei disso, " eu digo. " Um menino e uma menina Satchel."

Uma leitura recomendada para todos que amam Buffy e todas as estórias sobre "Escolhidos", Ness merece várias estrelinhas e um coração por este livro.


You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Seguidores