Não Fiz Sozinha #6 - Burn

21:36:00

A ideia do Não Fiz Sozinha é publicar toda semana uma estória curtinha inspirada nas letras das minhas músicas favoritas. E no fim, se você for louco e quiser se torturar um pouco, pode me ouvir cantando um cover estragando a canção. A escolhida dessa semana é Burn, música que faz parte do repertório do musical Hamilton.
Boa leitura e boa música!


Eu ainda tenho guardadas em algum lugar embaixo da cama, na caixa do meu All Star vermelho todas as nossas lembrancinhas. Bilhetes que você deixou na minha mesa durante a minha primeira semana de trabalho. Recibos de restaurantes, e-mails impressos e todas essas coisas que garotas apaixonadas guardam quando acham que encontraram o amor verdadeiro.

É como se um instinto primitivo nos forçasse a guardar provas da calmaria para o momento em que a tempestade chegar. As quinquilharias são o passe livre para o olho do furacão, de onde a gente pensa que vai assistir a tudo sem se machucar.

Sabe o que a minha irmã disse quando viu o seu primeiro bilhete? "Cuidado com esse cara, ele parece ser o tipo que não mede esforços para conseguir o que quer". Eu devia ter dado ouvidos a ela, devia ter percebido tudo quando cheguei em casa e encontrei cada centímetro da varanda  ocupado por margaridas amarelas e um pedido de "me dê uma chance".

Mas sabe, seus versos e palavras bonitas me intoxicaram a ponto de enganar o meu cérebro, cegar os meus sentidos. Eu estava completamente desprotegida. Em pouco tempo, me deitar ao seu lado só para escutar a sua projeção do nosso futuro se tornou a minha parte favorita do dia.

Sem dificuldade, você transformava letras em ideias, e ideias em estruturas sólidas. Era tudo tão real que, às vezes, se eu esticasse a minha mão, conseguia tocar o lindo castelo de mentiras que você ergueu.

Agora cá estou eu, afundada na cama, cercada por lencinhos de papel e pedaços das frases que flutuam, permanecem as mesmas e se reescrevem ganhando um novo significado a cada segundo. Tudo tão igual, tudo tão diferente.

Leio e releio as estruturas procurando as respostas para perguntas que nem precisariam ser feitas se eu tivesse prestado atenção desde o começo.

Mas como eu seria capaz de perceber isso? Por que eu escolheria ver se tinha como opção viver no mundo que construímos juntos? Um lugar onde as cores são mais brilhantes, o sol mais quente e os sonhos realidade.

Às vezes lembrar desses momentos é como passear pela praia em um dia nublado. O frio está lá, mas ocasionalmente um raio de sol aparece e me esquenta.

Agora,  sempre que entro na internet vejo declarações suas pra ela, os castelos que as suas palavras projetaram para o futuro de vocês dois. E tudo isso a troco de quê? Só pra manter a sua masculinidade intacta? Provar que você é "homem demais para se apaixonar?".

Nunca pensei que a minha felicidade seria trocada por algo tão sem valor.

Agora a minha irmã me olha com pena e em seus olhos eu vejo as palavras que ela não diz porque sabe que eu não quero ouvir.

Ver as suas declarações para a "nova eu" às vezes me arranca risadas histéricas. Suas frases já não fazem mais sentido e a sua paranoia (guiada pela sede de ser o macho alfa) faz com que você soe cada vez mais ridículo. Mas não se preocupe. A opinião que pode te destruir mais um pouco vai ficar guardada comigo.

Meus sentimentos são meus e apenas meus. O mundo não tem direito de saber o quanto você me quebrou, o quanto eu chorei e o quanto você me magoou.

Eu nem preciso gastar o meu tempo com posts de indireta. Sua nova caminhada ao sol já o queimou o suficiente.

Às vezes, quando você não está olhando, eu saio do meu esconderijo de nuvens e vejo os raios da sua ensolarada falsa felicidade marcando você, queimando, ficando lá para sempre.

Eu espero que queime para sempre.

You Might Also Like

6 comentários

  1. SOCORRO, QUE COVER É ESSE!!!!!!! FICOU LINDO DEMAAAAIS <3
    E esse conto me lembrou muito das coisas que eu escrevia há uns 3 anos #memories
    Meu quote preferido: "Às vezes lembrar desses momentos é como passear pela praia em um dia nublado. O frio está lá, mas ocasionalmente um raio de sol aparece e me esquenta."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AAAAAAAAAAAAAAA Obrigadaaaaa! <3 <3 <3
      Acho que já passou da hora de você voltar a escrever! Sempre vai ter um lugar aqui pra você!! #VEM

      Excluir
  2. Descobri seu blog ontem e estou a-pai-xo-na-da pelos seus textos <3 Quero saber mais sobre as pessoas desses contos, quero saber tudo delas hahaha
    Parabéns!

    https://lequeliterario.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3 <3 <3 Obrigada Aline!!!!
      Fica ligadinha que eu sempre posto uma coisa ou outra por aqui. <3

      Excluir

Instagram

Seguidores