Resenha: Sob o Mesmo Teto - Bruna Fontes

23:07:00


Ficha Técnica do Livro.
Título: Sob o Mesmo Teto (Medina-Becker #1)
Autora: Bruna Fontes
Páginas: 346
Classificação: <3 <3 <3

Sinopse:
Calíope Medina tem certeza absoluta de que está ficando louca. Entre cinco irmãos e uma mãe sem nenhum juízo, ela nunca foi exatamente expert em viver uma vida normal. Mas a situação sai dos eixos quando seu novo padrasto traz consigo mais quatro filhos, e agora sua nova residência parece abrigar a população de um pequeno país.
Ela acaba de se mudar para a cidadezinha onde o Novo Padrasto mora e podia jurar que não tinha como piorar... Até conhecer João, e a Lei de Murphy mais uma vez provar a sua força.
Esqueçam o nome esquisito, ter que se adaptar a um novo colégio no meio do ano, ou o fato de que metade do corpo de alunos divide o banheiro de casa com Cali: O Destino – ou quem quer que seja o ser mítico que adora sacaneá-la – lhe apresenta um garoto impossível, e ela não sabe se conseguirá ignorar a atração irrefreável vivendo com ele sob o mesmo teto.


Imagem de divulgação da Duplo Sentido Editorial


Eu conheci a Bruna em 2016, no evento de lançamento do Doze por Doze (antologia organizada pela Thati Machado, na qual participamos com diversos autores). Lembro que cheguei lá assustada, sem saber nada e conhecendo quase ninguém. A Bruna e a Larissa Siriani conversaram comigo e me fizeram sentir à vontade no meu primeiro lançamento literário. Acho que nunca disse isso, mas vou ser eternamente grata pelo tanto que elas foram legais comigo naquele dia.

No evento, a Bruna e a Larissa me explicaram um pouco sobre o Wattpad e contaram para mim o quanto elas amavam a plataforma e o quanto era gratificante escrever e receber o feedback dos leitores.

Levei os conselhos delas para casa e investiguei o Wattpad de cabo a rabo. Lá vi o SOMT pela primeira vez, mas cometi o erro de não prestar atenção (não cometa o mesmo erro que eu). Estava enrolada com fim de faculdade e acabei deixando para depois e como tudo que a gente deixa para depois, acabei esquecendo.

De lá para cá muita coisa mudou. Agora além de escritora, Bruna é editora da Duplo Sentido Editorial e com muito trabalho vem conquistando o espaço dela no cenário literário nacional. Eu vejo o empenho dela e da equipe da Duplo Sentido através das divulgações no Twitter e nos dias tristes é o que me motiva a continuar na batalha.

Quem acompanhava o blog por me conhecer ou simplesmente porque via minhas postagens na time line, certamente notou o meu sumiço. A verdade é que 2017 foi o ano de uma das minhas maiores crises de ansiedade e, durante o decorrer dos meses, uma coisa que sempre foi um prazer para mim se transformou em tortura.

Esse ano eu li ¼ do que costumo ler e gostei de um décimo do que li. Não sei se foram escolhas equivocadas, se foi a minha ansiedade ou se os livros lançados realmente eram muito parecidos.
De toda forma, nos últimos três meses eu tenho recuperado parte do meu amor pela leitura e posso dizer que um dos livros que me ajudou a sair dessa ressaca literária foi o Sob o Mesmo Teto, da Bruna Fontes.

Eu lembro que estava arrumando a mala para uma viagem à trabalho para Florianópolis e me perguntei se eu deveria levar algo para ler. Eu passaria 5 dias fora, mas ficaria a maior parte do tempo assistindo a palestras e workshops. Então a chance de eu chegar em casa exausta e sem um pingo de vontade para ler era gigantesca.

Ainda assim, resolvi dar uma chance para o livro da Bruna. E posso dizer sem arrependimento nenhum que foi a melhor decisão que eu podia ter tomado.

Já no avião para Florianópolis, eu devorei umas 70 páginas e não conseguia parar PORQUE A ESCRITA DA BRUNA CAPTURA MAIS QUE POKÉBOLA. Resumindo: o livro que era para durar uma viagem de 5 dias foi lido em 2 e, no segundo que eu terminei mandei mensagem no WhatsApp implorando para minha melhor amiga, Érika Simões, entrar no Wattpad e começar a ler pra eu ter com quem comentar depois.

Não satisfeita, quando cheguei em Juiz de Fora depois da viagem a Floripa, busquei a Érika na porta do Shopping só pra emprestar a minha cópia de SOMT pra ela terminar de ler.
Depois de toda essa ginástica, nada mais justo que chamar ela aqui para essa resenha textão comigo. O esquema é o seguinte, se você quer uma resenha sem spoiler, cola na minha que você estará em segurança.

Mas se você gosta de saber o que acontece antes de ler os livros, então pode ler tudo até o fim e, quando ver a fotinho da Érika, segura na mão dela e vai.
Combinado?
Combinado!

Sim, essa polaroid maravilhosa de #Jolíope vem junto com o livro. Você quer, @TaylorSwift?



Marianna Leão (Spoiler free):

Sob o Mesmo Teto é um livro de romance adolescente narrado a partir do ponto de vista da Calíope (a protagonista) que às vezes intercalava com o Guto. A primeira estrelinha vem logo no topo do bolo com o cuidado da Bruna em dar vozes próprias bem distintas para os dois. Incorporando sotaques e regionalismos que fizeram toda a diferença.
Como já deu para sacar ali em cima na sinopse, tudo começa quando o destino resolve armar uma tragédia grega para Calíope fazendo com que ela se apaixone pelo “irmão” postiço. Mas falar que o livro se resume a isso não faz justiça a ele.
Eu sei que já disse lá em cima, mas a escrita da Bruna tem algum tipo de feitiço. Se você lê uma frase está condenado (felizmente) a ler o livro até o fim. Não é à toa que Sob o Mesmo Teto coleciona milhões de leituras no Wattpad.
Ainda falando sobre a escrita, uma coisa que me encantou foi o modo como a Bruna mesclou poesia, memes e gírias com maestria. Tudo entra na hora certa como em uma orquestra bem regida, o que torna a leitura extremamente prazerosa. De certa forma, o texto dela me passou o mesmo sentimento que os do John. A sensação de ler algo moderno, mas com um lirismo que estamos acostumados a ver nos clássicos.
Além dessa característica, o que me fez gostar de Sob o Mesmo Teto logo de cara é que, apesar de ter muitos personagens (6 filhos na família Medina e 5 na família Becker, isso sem contar com pais e agregados), a Bruna consegue apresentá-los no momento e da maneira correta. Todos muito bem construídos, de modo que em momento algum eu me confundi sobre A ser mais novo que B, ou C ser irmão de D ou E.
Ela consegue traçar uma lógica tão natural para cada introdução que você não erra nem os gêmeos.
O shipp também é a coisa mais apaixonante do mundo! Parar de respirar é mais fácil que parar de ler o livro antes do shipp finalmente zarpar. Te desafio a conseguir parar de ler antes da primeira bitoca. Se você conseguir, te pago um salgado.
Outro ponto positivo na leitura de Sob o Mesmo Teto é que, seja você do Oiapoque ou do Chuí, você vai conseguir se identificar com a adolescência dos personagens porque eles são brasileiros, que moram no Brasil como a gente, e vivem suas vidinhas nessa terrinha que Cabral encontrou por acaso.
Eu amei revisitar minhas épocas de teen em cidade pequena em cada aventura dos Medina Becker e senti aquela nostalgia gostosa que nenhum livro estrangeiro conseguiria provocar.
Sem dever nada para nomes internacionais conhecidos e que formaram muitos leitores, a Bruna dá um tapa na boca de quem diz por aí que literatura nacional é inferior à internacional.


Erika Simões (Com mais spoiler que Twitter em noite de episódio novo de GOT):

Se você procura um romance adolescente, com muitas cenas lindas e uma escrita que dá vontade de devorar todos os capítulos em um segundo, Sob O Mesmo Teto é um livro feito para você.

Por indicação da dona desse blog e minha amiga, Mari Leão, comecei a lê-lo pelo Wattpad e me surpreendi com a quantidade de visualizações. O sucesso da história na plataforma foi tão grande que ela acabou virando um livro impresso, para alegria de quem não aguenta ficar olhando para luz da tela do computador por muito tempo, assim como eu.

Sob O Mesmo Teto é o primeiro livro da série que conta a história das famílias Medina e Becker. Calíope Medina, ou simplesmente Cali, nossa protagonista, tem CINCO irmãos. Carioquíssima, ela se vê obrigada a se mudar para o sul do Brasil quando sua mãe embarca no seu terceiro casamento. E com isso, deixando tudo para trás: sua vida, seus amigos e até o famoso crush. Mas o que ela não esperava é que a pequena cidadezinha de Assunção reservaria para ela um crushainda melhor: João Augusto.

Otávio Becker, o novo marido da mãe de Cali, é “O” cara. Ele é tipo o dono feat. proprietário da cidade. E ele tem CINCO filhos. Agora imagina isso tudo de gente morando na mesma casa? Imagina a fila para tomar banho? Hahaha

No seu primeiro dia em Assunção, enquanto caminhava pela cidade, fazendo aquele “reconhecimento do local”, Cali conhece João e é tipo amor à primeira vista! O garoto é um poço de perfeição: junta tudo de mais lindo que existe, uma pitada de poesia, mais uma pitada de clima aventureiro, bate no liquidificador e tá pronto o menino João. A identificação entre os dois é instantânea. Mas, para a surpresa deles, ao chegarem em casa, Cali descobre que João é filho de Otávio. A partir daí, o drama é certo: os dois sabem que deveriam agir como irmãos, mas o que eles queriam mesmo era dar umas bitocas na boca.

Enquanto Cali e João se evitam e seguram suas tentações, as famílias tentam seguir uma vida tranquila morando juntas. Cali começa a se dar muito bem com Patrícia Becker e seu grupo de amigos. Já Stella, irmã gêmea de Pat, “a gêmea má”, não é uma das pessoas mais simpáticas e amigáveis do mundo. Apolo e Hélio, gêmeos idênticos e irmãos de Cali, fazem jus aos nomes originados na mitologia grega, porque são tão lindos que parecem dois deuses vindos direto do Olimpo. Hipólita, outra irmã de Cali, é aquela personagem irritante, que só serve para causar discórdia e que a gente ama odiar. E no meio disso tudo, as crianças da família Medina, Maia e Selene, e o pequeno Leonardo Becker tentam ter uma infância normal em meio à loucura das duas famílias.

O aguardado beijo entre nossos pombinhos acontece na festa de aniversário de Patrícia e Stella. Sabe aquela festança para ninguém botar defeito? Pois é. Depois de tanto se evitarem, Cali e João se esgueiram para um quartinho escuro e o shipp finalmente acontece! #JolíopeForever

Enquanto a pegaçãorola solta, outro casal também tem a ideia brilhante de ir para o MESMO lugar: Stella e Gabriel. Só que Gabriel é o crush da nossa Pat. Agora imagina o borogodó desse Gabriel para atrair as duas irmãs? No melhor estilo “se não me atacar, eu não vou atacar”, os casais prometem não contar nada um sobre o outro. E esse é o primeiro momento em que Cali e Stella começam a se entender. Nada como um segredo para unir as pessoas, não é mesmo?

E a história se desenrola, com muitos momentos fofos e de pegação entre nosso shippmaster, e o dilema de terem que conviver na mesma casa, tendo que agir como manos em frente à família e esconder o romance que rolava entre os dois.

Os pais finalmente descobrem que #Jolíope é real/oficial e o casal tem que se separar, com o argumento de que eles tinham que conviver como irmãos, como uma família, e não como namorados. Nessa hora bate aquela revolta: por quê? Não dava para a família simplesmente aceitar? Mas os Medina-Becker achavam que o buraco era mais embaixo; se o namoro rolasse e depois eles terminassem, ia ficar aquele climão na família. E tudo que eles mais queriam era uma família unida e tranquila.

E no meio desse turbilhão de emoções, um dos sonhos de João estava prestes a se realizar: ele iria fazer um intercâmbio no estilo mochilão pelo mundo que duraria um ano. Ele e Cali prometem um ao outro que, quando ele voltasse, assumiriam essa paixão, mesmo com a reprovação dos pais. E assim acontece: quando João volta, o nosso shipp acontece DE VERDADE e tudo termina daquele jeito fofo que a gente mais ama! <3

Eu li tudo em dois dias, não vou mentir. Esse é um daqueles livros que te deixa arrebatada, que faz você entrar de cabeça na história e que, quando você termina, você olha para sua vida e pensa: o que eu vou fazer agora? E a responsável por esse sentimento é a Bruna Fontes, que tem uma escrita impecável, que te envolve e te prende sem te deixar respirar. A construção dos personagens é simples e suficiente para você entender como funcionam seus sentimentos e pensamentos. O ritmo da história faz com que você queira ler mais e mais, sem deixar de prestar atenção em uma vírgula. Quem gosta do gênero, vai se apaixonar pelo livro e, principalmente, se apaixonar junto com a Cali e o João.

Até o momento foram anunciados 4 livros para a saga dos Medina-Becker (e um conto de Natal 0800 que você pode baixar no site da Duplo Sentido Editorial). São eles: Sob O Mesmo Teto (publicado), Sobre Opostos (Publicado), Superlativo e Submarino.


Se mesmo depois desses textões você ainda precisa de mais provas de que a Bruna é talentosa ou de que os livros dela são bons, pode conferir todos os trabalhos babadeiros dela no Wattpad clicando aqui.


You Might Also Like

5 comentários

  1. EU ESTOU EMOCIONADÍSSIMA COM NOSSA RESENHA EM CONJUNTO AAAAAAAHHHHHHHHHH <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que seja a primeira de muitas porque eu AMO dividir vídeos, livros e resenhas com você <3

      Excluir
  2. MEU DEUS GENTE EU TO DANDO UM MONTE DE PULINHOS AQUI LENDO ISSO SOCORRO HAHAHAHAHAHA AAAAAAAAA MUITO OBRIGADA!!!! To emocionadíssima e MUITO feliz que vcs tenham se envolvido com as loucuras da minha família maluca de gregos e troianos. Não tem nada mais gratificante pra um autor do que ler uma resenha MARAVILHOSA como essa, vcs fizeram meu dia <3

    ResponderExcluir

Instagram

Seguidores